Memória: O maior público da história da Vila na partida que não foi oficializada

Memória: O maior público da história da Vila na partida que não foi oficializada

No dia 20 de setembro de 1964, aos 7′ do primeiro tempo durante a partida entre o Santos FC e Corinthians, o alambrado do estádio santista vinha abaixo para desespero de milhares de torcedores que viram a partida ser interrompida pois o mesmo situado atrás do gol ao lado da rua José de Alencar caiu, pois vários torcedores colocaram madeiras sobre o mesmo, indo até a arquibancada mais próxima.

O árbitro da partida, Armando Marques, decidiu não dar andamento ao jogo, apesar de o alambrado ter sido colocado no local e a situação ter sido contornada pelos policiais e pelos próprios jogadores das duas equipes que socorreram os feridos levando-os para os vestiários sendo que alguns deles devido a gravidade do acidente foram encaminhados à Santa Casa e também à Beneficência Portuguesa, no canal dois.

Graças a Deus não houve nenhuma vítima fatal. Pagaram ingressos para esta partida 32.986 e a renda atingiu a soma de Cr$ 19.397.600,00 e o time do Peixe entrou em campo com a seguinte formação: Gilmar, Ismael, Olavo e Geraldino; Zito e Lima; Peixinho, Gonçalo, Toninho, Pelé e Pepe. O técnico era Luiz Alonso Perez, o Lula.

O dinheiro arrecadado foi doado às santas casas de Santos e São Paulo, aos clubes sobraram 10% do total arrecadado para as despesas. Uma nova partida foi marcada para o Estádio do Pacaembu e terminou empatada em 1 a 1 com Pelé marcado tento praiano.

A diretoria santista publicou o seguinte comentário sobre os acontecimentos: “O Santos Football Club, lamentando profundamente o acidente ocorrido na tarde de domingo, vem apresentar os seus mais sinceros agradecimentos às autoridades civis e militares, aos médicos, aos enfermeiros da Santa Casa de Misericórdia e dos Prontos-socorros e a todos que prestaram sua preciosa colaboração no atendimento dos acidentados. Ao mesmo tempo eleva sua prece de agradecimento a sua padroeira Nossa Senhora do Monte Serrat, por não ter acontecido caso fatal a lamentar”.

Curiosidade

Com o cancelamento da partida acima, o recorde de público na Vila Belmiro pertence ao jogo no dia 15 de fevereiro de 1976, contra a equipe do Palmeiras que teve 31.662 pagantes.

Guilherme Guarche – Coordenador do Centro de Memória