Memória Especial: Hoje é comemorado o Dia de Urbano Caldeira

Memória Especial: Hoje é comemorado o Dia de Urbano Caldeira
Urbano Caldeira
Urbano Caldeira (foto: divulgação/Santos FC)

Em homenagem à memória do lendário Urbano Villela Caldeira Filho, publicamos na íntegra um bonito artigo lido pelo seu amigo Renato Pimenta quando o Santos FC completava 50 anos de fundação depositando flores na herma do grande benemérito santista. A herma foi inaugurada no día 09 de janeiro de 1938, data na qual foi instituido o Dia de Urbano Caldeira.

“Urbano: Embora a tua inanimada presença estruturada em bronze seja um permanente e constante convite ao recolhimento, hoje, excepcionalmente, tudo aqui mudara de aspecto, pelo menos durante os minutos em que os veteranos do Santos FC, veteranos do teu tempo, através da honrosa incumbência que me outorgaram, estiverem se dirigindo a ti, rememorando o estreito convívio que nos ligou outrora porque o que te trazemos hoje, Urbano Caldeira é festa, a festa que vai em nossas almas, o que viemos colocar a teus pés, Urbano Caldeira, é a alegria que, hoje, se apodera de nossos corações, é o nosso júbilo, o nosso regozijo pela passagem desta data tão comovedora em sua expressão.

Se vivo tu fosses, Urbano Caldeira que dia imenso, imenso em euforia, um encantamento, haveria de o ser esse, dia de hoje, em que teu clube, o nosso Santos FC – a quem tanto e tão exemplarmente nos ensinaste a amá-lo, a respeitá-lo e sobretudo a defendê-lo, completa 50 anos de gloriosa existência, para a qual tu, com o teu devotamento, com a tua dedicação, tanto e tanto concorreste para prestigiá-lo, para torná-lo grandioso como hoje ele se encontra.

Sabemos que o teu espírito nos escuta neste instante, Urbano Caldeira, porque nós os teus amigos de todas as batalhas, sempre podemos sentir o teu espírito em cada dia de vitória, com teu “Giba” entusiástico e incentivador e nós te apercebíamos mais do que nunca nos dias de derrota, vendo o teu semblante triste, mas onde transpareciam a serenidade e a impavidez dos que sabem perder. Santos Futebol Clube e tu, Urbano Caldeira, são um vulto só na caminhada dos triunfos; Santos Futebol Clube e tu, Urbano Caldeira, são uma única figura, uma silhueta apenas, contendo a mesma vibração, o mesmo sorriso, a mesma lágrima, porque Santos Futebol Clube é espelho de Urbano Caldeira, como Urbano Caldeira é reflexo de Santos Futebol Clube. Não te viemos chorar, imortalíssimo Urbano Caldeira, viemos – isso sim – sorrir contigo, junto a ti, que deves estar sorrindo, orgulhoso de teu clube, desse clube que é o pedaço vivo de teu corpo morto, que é o trecho palpitante de tua personalidade que não morrerá jamais! Que não há de perecer nunca! Mas… se uma lágrima em nós tu perceberes, perdoa. Urbano, esta estravassão de nosso sentir, perdoa essa exteriorização de nossa mágoa, perdoa esse traduzir de nosso desconsolo, porque se tu foste o entusiasmo que nos agigantava, se tu fostes a vibração que nos arremessava para frente, se tu foste, o dínamo que nos estimulava, que nos incitava à caminhada, hoje, Urbano Caldeira, tu és saudade, a maior, a mais dolente, a mais cruciante saudade que já se aninhou no coração de um clube, de teu clube, de nosso clube, do Santos Futebol Clube!

Mas a saudade no impressionante milagre do congraçamento dos nossos ideais, essa saudade, hoje, Urbano Caldeira, passou a ser canto de triunfo nesse instante em que viemos te trazer o nosso riso a esconder as nossas lágrimas, porque tua felicidade, tua alegria, tua imensa grandeza Alvinegra compõem a festa que ressoa neste campo, neste trecho do Estádio que tem o teu nome, trecho onde, nos outros dias, a tua figura em bronze é um convite permanente a meditação e ao recolhimento mas que hoje – festa em nossas almas, festa em teu espírito – aqui ficara sonoro pelo explodir de três frases que te dirigem os veteranos do teu tempo: Urbano Caldeira! Santos Futebol Clube! Giba!…”.

Guilherme Guarche – Coordenador do Centro de Memória e Estatística