Memória: Com Gylmar expulso, segunda partida de Pelé “goleiro” completa 52 anos

Memória: Com Gylmar expulso, segunda partida de Pelé “goleiro” completa 52 anos

No dia 19 de janeiro de 1964, o goleiro Gylmar dos Santos Neves era expulso pelo árbitro argentino Teodoro Nitti, aos 41′ do 2º tempo, quando o time do Santos Futebol Clube já estava vencendo o Grêmio de Porto Alegre pelo placar de 4 a 3, com o Rei Pelé marcando 03 gols, sendo dois de pênalti, e Pepe de falta marcou o outro tento do Peixe. O time formou nessa vitória no Pacaembu pela Taça Brasil referente ao ano de 1963 com: Gylmar (Pelé); Dalmo, João Carlos (Joel Camargo) e Geraldino; Haroldo e Zito; Batista, Lima, Coutinho, Pelé e Pepe. O técnico era Luiz Alonso Perez, o Lula.

Teria sido essa apenas mais uma partida vencida pelo Alvinegro diante do tricolor gaúcho se o árbitro argentino não tivesse expulsado de campo o goleiro santista, que foi substituído pelo Rei Pelé, que, apesar de ter jogado no gol poucos minutos ainda fez algumas defesas, trazendo tranquilidade aos demais jogadores santistas que sabiam que o Rei nos treinamentos na Vila Belmiro gostava de jogar no gol. Curiosamente, na década do ano de 1990, o filho do Rei, Edinho acabou se tornado um goleiro e não um atacante como todos imaginavam, e durante alguns anos defendeu com regular participação a meta do Peixe.

Curiosidade:

O Rei Pelé jogou na meta santista, além dessa partida contra o Grêmio, em outras 03 partidas e em nenhuma delas saiu escalado como goleiro e sim substituiu o arqueiro durante o jogo:

1ª) – 04//11/1959 – Santos FC 4 X Comercial (capital) 2 – na Vila Belmiro ( substituiu o goleiro Lalá).

3ª) – 14//11/1969 – Santos FC 3 X Botafogo PB 0 – em João Pessoa (substitui o goleiro Jair Estevão).

4ª) – 19/06/1973 – Santos FC 4 X Baltimore Boys 0 – USA – (substituiu o goleiro Cláudio).