Memória: bola bate na perna do árbitro e gol é validado pelo Paulista

Memória: bola bate na perna do árbitro e gol é validado pelo Paulista

No dia 09 de outubro de 1983, um lance surrealista aconteceu no Estádio do Morumbi, em partida do Campeonato Paulista no empate em 2 a 2 entre o Santos FC e o Palmeiras com Paulo Isidoro e Lino marcando os tentos peixeiros que formou com: Marolla; Betão, Márcio Rossini, Toninho Carlos e Paulo Robson; Dema, Paulo Isidoro e Pita; Lino, Serginho Chulapa e João Paulo.

O time era comandado pelo saudoso Chico Formiga. O gol de empate do time palestrino que na súmula foi anotado como sendo de Jorginho, na realidade foi do árbitro do encontro, José de Assis Aragão, que no último lance da partida na qual o Palmeiras perdia por 2 a 1, após a cobrança de um escanteio pela esquerda do ataque, na cobrança, Carlos Alberto Borges levantou a bola na área, e o lateral Paulo Robson afastou parcialmente, na sobra Jorginho chutou torto sem direção, a bola estava saindo pela linha de fundo, sem perigo. Porém no meio do caminho estava mal posicionado o árbitro Aragão, que involuntariamente viu a bola bater na sua perna esquerda e entrar na meta do goleiro Marolla que atônito ouviu o árbitro validar o tento de empate aos 45′ do segundo tempo para desespero e irritação dos jogadores do Alvinegro Praiano.

Curiosidade

O árbitro é elemento neutro na partida, a bola batendo nele e indo em direção ao gol, e acontecendo o gol como aconteceu na jogada descrita acima, o tento tem que ser validado como aconteceu naquela memorável partida.

Guilherme Guarche – Coordenador do Centro de Memória e Estatística