Memória: Após substituição, Pelé foi “obrigado” a voltar para o campo

Memória: Após substituição, Pelé foi “obrigado” a voltar para o campo

Um fato digno de registro e que faz parte do folclore do futebol mundial, aconteceu na partida disputada no dia 17 de janeiro de 1962 no Estádio Nacional de Lima no Peru, na vitória do Peixe sobre o Alianza de Lima, em jogo amistoso que foi vencido pelo Peixe pelo placar de 5 a 1 com gols de Coutinho (2), Dorval, Tite e Décio Brito. O Santos FC formou com Laércio (Gilmar); Olavo e Décio; Brito; Lima, Calvet (Getúlio) e Zito; Dorval, Tite (Mengálvio), Coutinho (Pagão), Pelé e Pepe. O técnico era Luiz Alonso Perez, o Lula.

O Rei Pelé no intervalo da partida diante do campeão peruano de 1962 iria ser substituído por Paulo César de Araújo, o saudoso Pagão, a torcida peruana presente ao estádio quando viu que o Rei não voltou para a segunda etapa do jogo começou a protestar e ameaçou invadir o campo, o juiz de nome Carlos Rivero parou o jogo e pediu ao técnico Lula que colocasse novamente na peleja o Rei que foi obrigado a voltar as quatro linhas no lugar de Coutinho. O público aplaudiu a substituição vibrando com a entrada do Rei que neste jogo não marcou nenhum gol.

Curiosidade:

Contra times peruanos o Santos FC já disputou exatas 35 partidas vencendo 25, empatando 06 e perdendo 04 partidas marcando o time praiano 105 e sofrendo 42 gols. Já o Rei Pelé jogou contra os peruanos 23 partidas vencendo 17, empatando 04 e perdendo 02 partidas marcando 19 gols.
Guilherme Guarche – Centro de Memória e Estatística