Memória: A pedido da torcida, mesmo machucado, Pelé entrava em campo

Memória: A pedido da torcida, mesmo machucado, Pelé entrava em campo

Um fato digno de registro aconteceu no dia 19 de fevereiro de 1961, na partida vencida pelo Santos FC pelo placar de 6 a 2 diante do Guadalajara AC no Torneio Pentagonal de Guadalajara no Estádio Jalisco na cidade de Guadalajara no México com Pepe (2), Mengálvio, Pagão e Dorval marcando os tentos do Peixe que formou com: Laércio; Dalmo, Mauro (Ney) e Zé Carlos; Fioti e Zito (Formiga); Dorval (Sormani), Mengálvio, Coutinho, Pagão (Pelé) e Pepe (Tite). O técnico era Luiz Alonso Perez, o Lula.

O Rei Pelé que estava machucado não participava da partida e estava no banco de reservas praticamente assistindo ao jogo quando então a torcida presente ao estádio começou a gritar em uníssono o seu nome exigindo que o mesmo adentrasse ao gramado de imediato, pois todos foram ao estádio Jalisco para vê-lo atuando.

O técnico Lula temendo pela segurança da equipe santista pois a torcida gritava sem parar o nome do Rei, decidiu sabiamente colocar o Rei no lugar do avante Pagão, pedindo a ele que evitasse jogadas mais ríspidas temendo que o mesmo agravasse a sua contusão. O público mexicano então aplaudiu e vibrou com a presença do maior jogador de futebol de todos os tempos jogando mesmo contundido.

Curiosidade
Durante a estada santista no México na disputa desse torneio pentagonal, o Rei Pelé e mais alguns jogadores do Peixe participaram de algumas cenas de um longa-metragem de nome “Mundo da Noche”, da empresa italiana “Júlia Films”, rodado no Estádio da Cidade Universitária. Cada jogador que participou da gravação do filme recebeu pela participação a importância de 20 mil cruzeiros. O objetivo do filme era mostrar um lance de gol do Rei Pelé.

Guilherme Guarche – Coordenador do Centro de Memória e Estatística