Ex-ponta do Santos FC, Manoel Maria comemora aniversário

Ex-ponta do Santos FC, Manoel Maria comemora aniversário

No dia 29 de fevereiro de 1948, nascia Manoel Maria Evangelista Barbosa dos Santos, ou simplesmente Mané Maria, um ponta-direita que chegou ao Santos no ano de 1968 quando então brilhava na Seleção Amadora do Brasil e pertencia a equipe do Tuna Luso Comercial da cidade de Belém no Pará.

Foi o técnico Antônio Fernandes, o inesquecível Antoninho que o colocou em campo na equipe principal do Santos FC, no dia 15 de junho de 1968, durante a excursão do Peixe em gramados europeus na derrota pelo placar de 5 a 4 diante da equipe do FC Zurich da Suiça com Toninho Guerreiro marcando dois gols, Pelé e Pepe um gol cada formando o Peixe com: Gilmar; Turcão, Oberdan, Ramos Delgado e Geraldino (Elizeu); Clodoaldo e Lima; Amauri (Manoel Maria), Toninho, Pelé e Abel (Pepe).

Essa foi a primeira partida de Mané Maria no Peixe onde atuou no período de 1968 a 1973 retornando depois em 1976 quando então no dia 15 de agosto de 1976 vestiu pela última vez a camisa do Peixe no amistoso vencido pelo Alvinegro por 2 a 1 diante do XV de Jaú na cidade do interior paulista com Toinzinho e Tuca marcando os gols do Santos que formou com: Wilson Quiqueto; Tuca, Vicente, Bianchi e Fernando; Carlos Roberto e Ailton Lira; Manuel Maria (Claudinho), Tata (Babá), Toinzinho e Edu. O técnico era Zé Duarte.

Mané Maria jogou 165 partidas e marcou 34 gols durante o tempo em que defendeu o Alvinegro da Vila Belmiro. Títulos conquistados:

Campeão da Taça de Prata – Roberto Gomes Pedrosa (1968); Campeão da Recopa Sul-Americana Inter-Clubes (1968); Torneio da Amazônia (1968); Campeão Paulista (1969/1973); Campeão do Torneio Hexagonal do Chile (1970); e Campeão da Taça Cidade de São Paulo (1970).

Curiosidade

Um grave acidente automobilístico com Mané Maria ocorrido no ano de 1970, na orla da praia de Santos atrapalhou em muito a carreira do excelente ponta-direita que vinha tendo atuações destacadas no time Alvinegro. O jovem então com 22 anos ficou em estado de coma por 11 dias causando apreensão em seus familiares e amigos.

Guilherme Guarche – Coordenador do Centro de Memória e Estatística