Diego relembra título de 2002: “Alegria é a palavra que define aquele time”

Diego relembra título de 2002: “Alegria é a palavra que define aquele time”

Poucos clubes, ou quase nenhum, tiveram um maestro com apenas 17 anos. Sem dúvida, o camisa 10 do Santos FC em 2002 fazia de seus passes a batuta que ajudou a orquestrar um dos títulos mais importantes da história santista após a Era-Pelé. Diego Ribas da Cunha era o menino que, ao lado de Robinho, mostrou o futebol alegre e irreverente que trouxe novamente o Peixe às glórias. O time não conquistava um título de grande importância desde o Paulista de 1984.

Após 13 anos, o meia Diego lembra com carinho do título conquistado sobre o Corinthians por 3 a 2, no dia 15 de dezembro de 2002, no Estádio Morumbi. Para o eterno Menino da Vila, a vitória em 2002 foi mais do que um presente aos torcedores santistas, mas, também, aos jogadores que integravam o elenco do Peixe.

“Foi uma grande honra ter feito parte da conquista daquele título. Eu sempre digo que aquele momento não foi apenas um presente aos torcedores do Santos, mas também a nós jogadores que fizemos parte deste momento histórico do clube. Eu me sinto honrado por ter ajudado. Foi muito bom ver renascer o amor, o orgulho, de todos santistas.”, diz Diego.

Diego campeão 3
Diego em treinamento no CT Rei Pelé (foto: divulgação/Santos FC)

Diego conta um dos motivos do sucesso daquele timaço. “Uma palavra que define aquele momento, aquele time, é alegria. Alegria em todos os momentos, nos treinamentos, concentrações. Nos jogos, eu acho que deixávamos transparecer a nossa alegria em campo. Não tenho dúvida que isso refletia em um bom futebol. Todos tinham alegria de jogar futebol e representar o Santos.”

O camisa 10 teve dúvidas ao falar qual foi a partida que mais lhe marcou naquela competição, lembrando que ele saiu logo no início da decisão em decorrência de uma lesão. Mas, ao final das contas, Diego escolheu sua partida favorita.

“Difícil dizer qual foi o jogo mais importante daquela competição, pois quando jogo teve suas dificuldades, superação e a glória final. No meu caso, o primeiro jogo da final, nós vencemos por 2 a 0, e, sem dúvida, demos um passo muito importante para o jogo decisivo. Jogamos muito bem contra um time muito bom, considerado favorito, que era o Corinthians. Ali foi um passo muito importante para o nosso título.”