Dia do Professor: Há seis anos, “tia” Karla é referência no Santos FC

Dia do Professor: Há seis anos, “tia” Karla é referência no Santos FC

Neste sábado, dia 15 de outubro, está sendo comemorado em todo Brasil o Dia do Professor. Uma data repleta de amor, carinho e gratidão a todos aqueles que nos ajudam com sua dedicação, disciplina e ensinamentos. O Santos Futebol Clube também tem o seu professor, melhor dizendo, a nossa “tia” Karla, como é carinhosamente chamada por todos atletas do Sub-11 ao 20, até, inclusive, por alguns jogadores que já estão no time profissional.

O Clube cumpre uma legislação, de uma lei de 2009, onde a Federação Paulista de Futebol obriga todos os clubes a matricularem nas escolas seus atletas menores de 18 anos, para que eles concluam o Ensino Médio.

Karla Patricia dos Santos, torcedora do Peixe, de família santista, já trabalha na agremiação há seis anos. Ela tem uma participação muito importante no dia-a-dia dos atletas. “Eu dou suporte a todos alunos, do Sub-11 ao Sub-20, que estão estão matriculados em qualquer escola. O atleta vem aqui na sala de estudos, se ele tiver qualquer tipo de dúvida, eu dou um suporte individual. Faço atividades só com ele, como se fosse uma aula particular. Ajudamos com computador, pesquisas, imprimir trabalhos. Dou o primeiro suporte.Vou nas escolas, reuniões, faço todo acompanhamento deles na escola, com a coordenação. Esse é o meu trabalho.”

Lecionar em uma escola ou universidade é totalmente diferente de trabalhar em um clube de futebol. Cronogramas e outras coisas são bem diversificados. “É diferente, pois a minha atuação é mais imediatista. O atleta vem com aquela dificuldade, naquele momento. Existem momentos que os meninos marcam hora, outras não, chegam tirando dúvida, por isso preciso sempre estar preparada.É totalmente diferente de estar numa sala de aula, já lecionei em sala de aula. Existe um cronograma, totalmente diferente.”

“Costumo ir semanalmente nas escolas, para fazer um acompanhamento, principalmente dos atletas da noite que são os alojados no clube. Vou para ver o que está acontecendo, se realmente eles estão indo para a escola, converso com professores e coordenadores para saber se estão com os jogadores estão com alguma dificuldade em determinada matéria. É um trabalho de fácil acesso. Tenho contato com todos profissionais.”, diz Karla, sempre com muito carinho e amor pelo que faz.

O Alvinegro Praiano tem um diferencial em relação a vários clubes de futebol do Brasil. Não fica atento apenas aos atletas alojados, mas também a todos que estão inseridos nas atividades escolares.  Aqueles que vivem com seus pais, por exemplo, também tem acompanhamento da professora Karla. Independentemente de serem alunos de Escola Estadual, Municipal e Particular. Os pais são informados o tempo todo. Existe disponibilidade para todos.

A Educação é vista no Santos Futebol Clube de forma ampla, onde a sala de estudos é uma área de convivência social para todos atletas da base. Serve para fortalecer os vínculos, serve para a formação não apenas do jogador, mas principalmente do cidadão. Existem computadores para fazer pesquisas, utilização para lazer, descontração. A Karla orienta mais os jogadores e o departamento de serviços social mais os familiares.  A professora explica algumas atividades.

“Os pais são muito participativos, vão na sala de estudos para saber como os garotos estão indo na escola, se tem dificuldades. Os alunos que vivem no alojamento, o clube envia sempre para os pais os boletins de notas das escolas, para que fiquem sempre atentos às notas dos filhos. Temos uma parceria com uma universidade federal de São Paulo, onde levamos nossos atletas, para que eles já tenham uma noção de ambiente acadêmico e universitário. Alunos da universidade vão ao clube também, realizam gincanas e outras atividades com os atletas. Acontecem várias atividades para integração social, lazer e educacional também.”

Como já é habitual, em vários lugares, os alunos, de forma carinhosa, chamam a professora de “tia”. E com Karla não é diferente. Alunos do Sub-11 até o Sub-20 chamam Karla de tia, inclusive, jogadores já renomados, que passaram pela sala de estudos do Santos, também mantém o carinho.

“Todos, do Sub-11 ao Sub-20, me chamam de tia Karla. Acho que é por causa do carinho, comprometimento, nosso amor por estas crianças, pelo trabalho. Fidelidade e confiança de uma parceria, de um amigo. Eu amo trabalhar aqui. Existe o amor ao clube também, já que toda minha família é santista. Dei aula para o Zeca, Gabigol (hoje na Internazionale), Thiago Maia, Gustavo Henrique, Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, João Paulo, John, sou tia Karla para todos eles.”

Mas tia Karla faz questão de ressaltar. “Eu dou puxão de orelha também. Faz parte.”

Existe, ainda, por parte de muitas pessoas, um preconceito em relação aos jogadores estudando, e Karla aponta números que desmentem este mito de que atleta não estuda. “Jogador de futebol é inteligente, estuda, vai à escola. Temos muitos atletas aqui que são os melhores alunos, ótimos em sala de aula. São meninos comprometidos, com notas boas. A taxa de aprovação aqui no Santos é muito boa, mais de 95%. A meta é que todos tenham pelo menos o Ensino Médio completo.”

Valeu, tia Karla. Obrigado a todos professores.

(texto: Fúlvio Feola)