Debutando como profissional, Sabino pede máxima atenção contra o Nacional: “vale 6 pontos”

Debutando como profissional, Sabino pede máxima atenção contra o Nacional: “vale 6 pontos”

Apenas três jogadores do Santos B atuaram nas 11 primeiras rodadas da Copa Paulista 2017. Desses, apenas o zagueiro Sabino está vivendo sua primeira experiência em um campeonato profissional. Formado nas categorias de base do Santos FC, o defensor foi promovido da equipe sub-20 para o time B do Peixe nesta temporada e é homem de confiança do técnico Kleiton Lima.

“Apesar da pouca idade, ele vêm atuando com muita segurança e está dando conta do recado, se mostrado um zagueiro com um futuro brilhante pela frente. Canhoto, que atua pelo lado esquerdo, com qualidade na saída de bola, bom posicionamento, imposição física e que está aproveitando do projeto Santos B para ganhar maturidade jogo a jogo”, destacou o treinador santista.

Focado no duelo contra o Nacional, no próximo sábado (2), às 16h, na Vila Belmiro, o zagueiro pediu o máximo de atenção para superar um adversário direto na briga pela classificação. Isso porque o Santos FC está na terceira colocação, com 17 pontos, seguido pelo Nacional, em quarto, com 16. “Com certeza é um jogo importante, porque é um jogo de 6 pontos. Temos uma pequena vantagem, pois jogaremos dentro de casa. Mas sabemos que futebol é jogado dentro de campo. Por isso estamos dando o valor que esse jogo merece, ainda mais por se tratar de um confronto direto pelas primeiras posições. Só tenho que glorificar a Deus por esse momento que a nossa equipe vive, com grande possibilidade de classificação. Mas temos que fazer a nossa parte, jogar o jogo e dar o nosso 100%”.

Patrick, Bruno Leonardo, Sabino e Léo subiram do sub-20 e estão no time B (Foto de arquivo: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/SantosFC)

Mesmo com boas atuações, o Peixe teve um inicio instável na competição, mas conseguiu aliar o desempenho com resultados positivos e alcançou a terceira melhor campanha do Grupo 3. Na visão do promissor atleta, as vitórias vieram com o entrosamento adquirido nos treinamentos e no decorrer do campeonato.

“A principal dificuldade que enfrentamos no começo foi o entrosamento da equipe. Chegaram alguns atletas novos, outros subiram do sub-20, como o meu caso, então era uma equipe nova e que nunca tinha jogado junto. Claro que leva um certo tempo para nos adaptarmos com os novos companheiros, com o estilo de cada um. Depois desse tempo de adaptação, nosso time conseguiu mostrar um futebol melhor, com a cara do Santos FC, com o futebol agressivo e consequentemente os gols foram saindo naturalmente. Hoje estamos na terceira colocação, com grandes chances de classificar e só depende de nós”, concluiu o zagueiro santista.

(Foto de abertura: Ivan Storti)