Coutinho, ídolo eterno, completa 72 anos de aniversário

No dia 11 de junho de 1943 nascia na cidade paulista de Piracicaba, Antônio Wilson Honório, o Coutinho, um ser humano que é eterno nos corações dos torcedores do Alvinegro da Vila Belmiro. Foi um centroavante de apurada qualidade técnica, um craque de raciocínio rápido e frio, precioso nos arremates todos sempre leves e certeiros.

 

Formou com o Rei Pelé uma dupla de atacantes que até hoje não foi superada no cenário não só do futebol nacional como mundial. Foi o parceiro ideal do Rei, os quais eternizaram nos gramados a famosa tabelinha. Dentro da área era só tranquilidade e eficiência, um gênio no domínio da bola e feitura de gols. Quando iniciou sua carreira na equipe principal santista, o centroavante titular era o seu amigo Paulo César de Araújo, o Pagão que segundo Coutinho, foi um dos maiores jogadores que ele viu jogar no futebol brasileiro.

Coutinho é o jogador mais jovem a atuar na equipe principal do Santos FC, sua estreia ocorreu no dia 17 de maio 1958 em Goiânia quando o Peixe venceu a equipe do Sírio-Libanês por 7 a 1 em partida amistosa com um gol de sua autoria nessa goleada, tinha na época 14 anos e 11 meses de idade.

Com a camisa santista jogou 457 partidas tendo marcado 370 gols, no período de 1958 a 1967 e 1969 a 1970 é o 3º maior artilheiro do Clube em toda a história. Por ter-se contundido às vésperas do certame deixou de ser o titular da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1962 no Chile, o posto que foi assumido para Vavá.

Na Seleção jogou 13 partidas e marcou 6 gols. A última vez em que vestiu a gloriosa camisa praiana foi no dia 21 de novembro de 1970 no Parque Antártica em partida válida pela Taça de Prata e foi um empate sem gols diante do América do Rio de Janeiro com o Peixe formando com Cejas (Agnaldo); Carlos Alberto, Djalma Dias, Joel Camargo e Turcão; Clodoaldo e Léo Oliveira; Árlem, Edu (Coutinho), Pelé e Abel. O técnico era Antonio Fernandes, o Antoninho.

O Santos FC deseja toda a saúde e felicidade para um dos maiores ídolos da história do Clube.

 

Guilherme Guarche – Coordenador do Centro de Memória e Estatística

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *