Após 464 minutos sem sofrer gol, Lucas Veríssimo valoriza trabalho em equipe

Após 464 minutos sem sofrer gol, Lucas Veríssimo valoriza trabalho em equipe

(fotos: Ivan Storti / Santos FC)

Dono de uma das defesas menos vazadas no Paulistão Itaipava 2016, o Peixe ficou 464 minutos sem sofrer gol, até ser vazado no clássico contra o São Paulo, no último domingo (27). A boa marca do setor defensivo do Santos FC é motivo de comemoração para o zagueiro Lucas Veríssimo, que foi um dos destaques do Peixe no último jogo.

“Acho que foi uma das minhas melhores partidas no profissional do Santos FC. A segurança e a confiança que eu adquiri nos últimos jogos me ajudaram a transmitir uma boa impressão nesse jogo”. Além do seu trabalho, de forma individual, o camisa 28 acredita que o bom desempenho defensivo do Peixe passa pelo comprometimento de toda a equipe. “É um conjunto. No nosso time um ajuda o outro. Por isso ficamos quatro jogos sem tomar gol e só tomamos no finalzinho do clássico”.

Lucas Veríssimo treino

Aos 20 anos, Veríssimo confessa que, no final de 2015, não imaginava que iria atuar nas 13 primeiras partidas do Santos FC nessa temporada. “Por mais que eu tivesse vontade, tivesse o sonho, não tinha isso como certo. Vinha trabalhando e tudo aconteceu muito rápido. Acabou me pegando um pouco de surpresa. Mas só tenho que agradecer por essas oportunidades nessa boa sequência”.

Um dos aspectos que abriu espaço para essa “surpresa” em 2016 foi a lesão do zagueiro David Braz, que voltou a ser relacionado apenas na partida contra o Rio Claro, no dia 20 de março. Para Veríssimo, ainda que a disputa por uma posição na equipe titular aumente, o retorno do camisa 14 é algo para ser comemorado, já que David é uma das referências do atual elenco. “É uma concorrência boa. Uma briga sadia entre nós, com cada um buscando seu espaço. Deixando sempre à critério do treinador. Ter a volta do Braz nos jogos é fundamental pela liderança que ele tem no grupo e pela amizade que acabei criando com ele”.